Abrantes - Escritor João Pinto Coelho vai estar "Entre nós e as palavras" na Biblioteca Municipal - Circo Natureza

PUB

24/02/2020

Abrantes - Escritor João Pinto Coelho vai estar "Entre nós e as palavras" na Biblioteca Municipal


O escritor  João Pinto Coelho é o convidado da próxima sessão de “Entre nós e as palavras” que terá lugar na Biblioteca Municipal António Botto, em Abrantes, no dia 27 de fevereiro, às 21h30. Na sessão estará em destaque o livro "Perguntem a Sarah Gross" (Editora LeYa), cuja apresentação será realizada por Alexandra Simão.

João Pinto Coelho nasceu em Londres em 1967. Licenciou-se em Arquitetura em 1992 e viveu a maior parte da sua vida em Lisboa. Passou diversas temporadas nos Estados Unidos, onde chegou a trabalhar num teatro profissional perto de Nova Iorque. Em 2009 e 2011 integrou duas ações do Conselho da Europa que tiveram lugar em Auschwitz (Oswiécim), na Polónia, trabalhando de perto com diversos investigadores sobre o Holocausto. No mesmo período, concebeu e implementou o projeto Auschwitz in 1st Person/A Letter to Meir Berkovich, que juntou jovens portugueses e polacos e que o levou uma vez mais à Polónia, às ruas de Oswiécim e aos campos de concentração e extermínio. A esse propósito tem realizado diversas intervenções públicas, uma das quais, como orador, na conferência internacional Portugal e o Holocausto, que teve lugar na Fundação Calouste Gulbenkian. O seu primeiro romance, "Perguntem a Sarah Gross", foi publicado em 2012, sendo "Os Loucos da Rua Mazur", vencedor do prémio LeYa, editado em 2017.

Em "Perguntem a Sarah Gross", Kimberly Parker, uma jovem professora de Literatura, atravessa os Estados Unidos para ir ensinar no colégio mais elitista da Nova Inglaterra, dirigido por uma mulher carismática e misteriosa chamada Sarah Gross. Foge de um segredo terrível e procura em St. Oswald’s a paz possível com a companhia da exuberante Miranda, o encanto e a sensibilidade de Clement e sobretudo a cumplicidade de Sarah. Mas a verdade persegue Kimberly até ali e, no dia em que toma a decisão que a poderia salvar, uma tragédia abala inesperadamente a instituição centenária, abrindo as portas a um passado avassalador.  Nos corredores da universidade ou no apertado gueto de Cracóvia; à sombra dos choupos de Birkenau ou pelas ruas de Auschwitz quando ainda era uma cidade feliz, Kimberly mergulha numa história brutal de dor e sobrevivência para a qual ninguém a preparou.

Sem comentários: