Alcanena e Minde - Festival Materiais Diversos com cinco estreias nacionais na sua 10.ª edição de 27 de setembro a 5 de outubro - Circo Natureza

27/09/2019

Alcanena e Minde - Festival Materiais Diversos com cinco estreias nacionais na sua 10.ª edição de 27 de setembro a 5 de outubro


O Festival Materiais Diversos comemora, em 2019, 10 edições e celebra a ocasião com um vasto programa de atividades, promovendo uma vez mais o encontro entre as artes performativas contemporâneas e diferentes comunidades, vozes e imaginários locais.

De 27 de setembro a 5 de outubro, Minde, Cartaxo e Alcanena recebem 17 espectáculos de criadores e companhias portugueses e estrangeiros, 5 em estreia absoluta e 4 em estreia nacional, 1 exposição e 3 ações de participação, promovem mais de 20 conversas e debates com o público e organizam 4 momentos musicais, reunindo um total de 150 artistas.

As Far as My Fingertips Take Me da premiada artista libanesa Tania el Khoury abre o Festival no Museu de Aguarela Roque Gameiro, em Minde, no dia 27 de setembro. Apresentada pela primeira vez no nosso país, esta performance promove o encontro entre um espectador e um performer, através de uma parede, com o objectivo de questionar a actual condição dos refugiados na Europa e a sua relação com os europeus.

As Far as My Fingertips Take Me

Também relacionado com o tema das migrações e a crise dos refugiados, é apresentado o espectáculo Pleasant Island, de Silke Huysmans e Hannes Dereere, que, depois de estrear em Bruxelas, viaja até ao Centro Cultural do Cartaxo para a sua estreia portuguesa. Pleasant Island é um espectáculo sobre Nauru, uma pequena ilha no Pacífico, que se tornou um dos países mais ricos do mundo após a descoberta de uma reserva de fosfato. A exploração da ilha foi tão exaustiva, que todos os seus os seus recursos naturais se esgotaram. Hoje em dia, Nauru é um dos países mais pobres do mundo e, para sobreviver, recebe refugiados da Austrália em troca de uma compensação monetária.

Outra estreia é o espectáculo Don’t be Frightened of Turning The Page de Alessandro Sciarroni, criador italiano a quem foi atribuído este ano o Leão de Ouro na Bienal de Veneza pela sua inovadora obra coreográfica. Sciarroni vai estar também a dirigir Na Práctica, juntamente com Rui Pina Coelho e Gustavo Vicente, a Escola de Verão do Festival, destinada a artistas e investigadores.

Pleasant Island 


As estreias absolutas são portuguesas e trazem um conjunto de criadores muito eclético

Intimamente ligado à génese e à história do Festival Materiais Diversos, Jogo de Lençóis de Lígia Soares, vai ter estreia absoluta na Casa da Memória, em Minde, nos dias 28 e 29 de setembro. Esta performance nasceu a partir de um convite feito à artista, que recolheu depoimentos de pessoas que, ao longo das 10 edições do Festival, acolheram artistas e equipas técnicas nas suas casas.

Com texto e direcção de Joana Craveiro, a mais recente criação da companhia Teatro do Vestido apresenta Viagem a Portugal, um espectáculo-percurso, que parte do Auditório do Sindicato dos Curtumes, em Alcanena, para mergulhar nas histórias deste país, nas paisagens e pessoas. Também em Alcanena, o público poderá assistir ao espectáculo A Menor Língua do Mundo, que se debruça precisamente sobre línguas minoritárias portuguesas, entre elas o minderico.

Destaque ainda para Selva Coragem, uma ação participativa e instalação do Teatro do Frio para visitar de 1 a 5 de outubro na Galeria Municipal do Cartaxo. Trata-se de uma criação interdisciplinar, que articula arte sonora, escrita dramatúrgica e performance com perspectivas de sustentabilidade, biodiversidade e qualidade de vida no tecido urbano.

Na dança, destaque para as estreias absolutas de Mistério da Cultura, de David Marques e Partilhas/Exchanges de Filipa Francisco. O coreógrafo Victor Hugo Pontes apresenta Margem, que ganhou o Prémio Autores Melhor Coreografia da Sociedade Portuguesa de Autores, este ano, e que pode ser visto no dia 3 de Outubro no Centro Cultural do Cartaxo.

Margem

O último espectáculo a ser apresentado nesta edição do Festival Materiais Diversos, e que também é uma estreia nacional, é FoFo, a mais recente criação da coreógrafa e bailarina Ana Rita Teodoro, que, durante o período de criação, realizou duas oficinas de pesquisa com adolescentes no Centro Cultural do Cartaxo e na Escola Secundária de Alcanena.

Programação para crianças

São três os espectáculos programados a pensar no público mais novo, com sessões para escolas, durante a semana, e para famílias, nos dois fins-de-semana do Festival. Integram esta programação Juana Azurduy, de Cláudia Gaiolas, um espetáculo que faz parte de uma série de quatro, a partir da colecção de livros Antiprincesas, editada pela Tinta da China e pela EGEAC, sobre mulheres que marcaram a nossa história; MESA de Catarina Requeijo, que pretende explorar este objecto não só na sua dimensão utilitária, mas também nas suas dimensões simbólica e afectiva; e Sublinhar, o primeiro espectáculo de dança para crianças de Marta Cerqueira.

MESA 

Noites Longas programadas pelo Bons Sons

Manel Cruz, o músico portuense que lançou recentemente o álbum Vida Nova, vai dar um concerto no dia 28 de setembro na Fábrica de Cultura de Minde. Conhecido por projectos como Ornatos Violeta, Foge Foge Bandido, Pluto ou Supernada, Manel Cruz promete animar esta noite do Festival com algumas das músicas que o celebrizaram e com os singles que fazem parte deste seu novo disco, como “Cães e Ossos”, “Beija-Flor” e “Ainda Não acabei”.

No dia 4 de outubro, a banda They Must Be Crazy, inspirada na cultura africana e nos ritmos afrobeat, sobe ao palco do Mercado Municipal do Cartaxo, com a determinação de fazer toda a gente dançar.

Além destes concertos, o Festival programa uma festa de abertura no dia 27 de Setembro, no Edifício António Alves Raposo, em Minde animada pela dupla Dj SlowFlow e uma festa de encerramento no dia 5 de Outubro com Dj Maboku, no Mercado Municipal do Cartaxo.

A programação musical do Festival Materiais Diversos resulta de uma parceria, agora renovada, com o Bons Sons, que se realiza no mês de agosto.

Manel Cruz

Ponto de Encontro desenvolvido por In Situ e com programação própria

O Festival Materiais Diversos convidou o In Situ – Laboratório de Intervenção em Arquitectura, da Universidade Autónoma de Lisboa, para projetar e construir o Ponto de Encontro desta edição do Festival. O laboratório tem desenvolvido projetos em diferentes locais, tendo como objectivo estabelecer laços entre a universidade e as comunidades. Num olhar sobre o território urbano de Minde, Alcanena e Cartaxo, estudantes de arquitectura desenvolveram um espaço multidisciplinar e central para o Festival, que será um espaço para conversas, debates, sessões de cinema e pequenas performances. O Ponto de Encontro abre a 23 de setembro, em Minde, com um conjunto de propostas artísticas multidisciplinares, e no dia 1 de Outubro viaja para o Cartaxo.

Debate Entre a Urbe e a Serra

É neste Ponto de Encontro que no dia 28 de setembro (11h-13h30) se vai realizar o debate Entre a Urbe e a Serra, moderado pelo investigador e programador cultural António Pinto Ribeiro com Elisabete Paiva e Tiago Guedes, numa conversa onde se perspetivam a história da dança, das artes performativas e dos novos centros de criação, programação e divulgação, assim como a experiência do Festival Materiais Diversos.

Estas e outras reflexões vão fazer parte de um livro que a Materiais Diversos está a preparar a propósito dos 10 anos do Festival. Para este projecto editorial, foram convidados pensadores, programadores e artistas para desenvolverem conversas, textos e ensaios visuais. O livro será publicado em Março de 2020.


Sem comentários: