Festival Bons Sons reduz lotação a 35 mil pessoas para assegurar conforto do público e da aldeia

O festival Bons Sons, que este ano se realiza de 8 a 11 de agosto, na aldeia de Cem Soldos, em Tomar, anunciou que vai reduzir a lotação do evento para 35 mil pessoas, “para proporcionar ao público e à aldeia a melhor experiência possível”, refere a organização em comunicado.
A decisão do Sport Clube Operário de Cem Soldos surge depois de a edição de 2018, que decorreu de 9 a 12 de agosto, ter sido “a edição de todos os recordes”, com a aldeia a receber 38.500 visitantes durante os quatro dias do festival.

Trata-se de “reduzir cerca de mil pessoas por dia” para proporcionar uma melhor “fruição do tempo e do espaço que a população e o público dedicam à partilha, a viver a aldeia e a pensar a sua própria cultura”, acrescentou.

A cumprir a sua 10.ª edição, o festival antecipa também este ano o arranque da venda dos bilhetes que todos os anos são vendidos por várias fases ao longo das quais o preço aumenta.

Os passes de quatro dias custam 30 euros até 31 de dezembro, 35 euros entre janeiro e março, 45 euros entre abril e julho e 50 euros em agosto. Quanto aos bilhetes diários, estão à venda por 22 euros entre abril e julho e por 25 euros em agosto.


O Festival Bons Sons é organizado desde 2006 pelo Sport Club Operário de Cem Soldos e manteve-se bienal até 2014, após o que passou a realizar-se anualmente.

A Aldeia de Cem Soldos é fechada e o seu perímetro delimita o recinto que acolhe oito palcos (cada um dedicado a uma linha programática) integrados nas ruas, praças, largos, igreja e até garagens.

São os cerca de 1.000 habitantes da aldeia que organizam e montam o festival, ao longo do qual acolhem e servem os visitantes, numa partilha que distingue o Bons Sons dos restantes festivais nacionais.

Comentários