08/04/2010

"E os loucos somos nós" - artigo de opinião

O país está deprimido e os números do estudo epidemiológico nacional de saúde mental não deixam margem para dúvidas. Uma em cada cinco pessoas sofre de perturbações psiquiátricas, desde depressão, ansiedade, pânico, entre outras. Neste estudo é referido que estas perturbações afectam mais as mulheres, os jovens e as pessoas sós. Por isso é preciso que as pessoas com doenças mentais percebam que não estão bem e que necessitam de tratamento, de acompanhamento. O que causa maior impressão é saber que grande parte das pessoas  com doença mental não está a ser acompanhada por um especialista. Há um preconceito em relação a quem frequenta psicólogos ou psiquiatras, e isso é ponto assente. Um jovem com ansiedade, com uma fobia qualquer é olhado de lado, como alguém desequilibrado, sem valores, um fraco, que ao menor obstáculo desiste...

Eu sei do que falo porque já fiz psicoterapia e ando num psiquiatra e senti muitas vezes que sou olhado de lado por andar num especialista. Até mesmo no consultório os doentes trocam olhares entre si e baixam a cabeça com vergonha, é verídico.   O que a percentagem deste estudo vem demonstrar é que os portugueses são um povo retrógrado nestas questões. Não é vergonha querer estar bem, querer tratar da saúde mental. É vergonhoso, isso sim, estar doente e não ir ao médico com medo de ser olhado de lado.

 É difícil entender a causa deste estado, visto que temos um país com um óptimo clima, paisagens encantadoras, uma gastronomia com inúmeros paladares...em contraste com um povo angustiado, sem esperança, desconfiado e mal educado. Portugal além de estar no top de consumo de antidepressivos, agora também é líder da Europa em doenças mentais, aproximando-se dos EUA, o que deixa mais dúvidas e confusões comparando os dois países, o modo de vida, factores já apontados em cima.
Reflictam sobre quem está a agir mal nestas questões e tentem não ser tão retrogrados.

Haveria muito mais para dizer, mas fica para um outro artigo de opinião...

André Lopes

Sem comentários:

Enviar um comentário