Entrevista - Fadista Joana Cota atua em palco improvável nas Festas do Concelho de Sardoal

Joana Cota canta desde os 16 anos. Começou a mostrar a voz em festas e bailes de verão até que alguém lhe reconheceu mérito e a fez chegar a outros palcos. Em entrevista ao Circo Natureza, a fadista de 26 anos, residente no concelho de Abrantes, fala do concerto que vai apresentar nas Festas do Concelho de Sardoal, no domingo, 25 de setembro. Será um espetáculo peculiar ou não fosse a varada da Câmara Municipal um sítio improvável para a realização do concerto. Intitulado"O Fado Sai à Rua", o projeto que a fadista dará a conhecer pretende, precisamente, levar o fado aos palcos mais improváveis. Silêncio que se vai cantar o fado!

Em maio de 2014 apresentaste o disco "Fado no Sorriso", no Centro Cultural Gil Vicente. Como é regressar ao Sardoal, agora num concerto integrado nas Festas do Concelho?

É muito empolgante por diversos motivos... Adoro e admiro a Vila Jardim, onde cada rua, cada edifício e cada pessoa tem o seu encanto, e todas essas conjugações são perfeitas para tornar o meu fado ainda mais fado. Desde o concerto do "Fado no Sorriso", em que a Câmara de Sardoal me ofereceu um apoio enorme em toda a logística, que tentei retribuir com um espetáculo simples, humilde e elegante. Penso que este concerto, integrado nas Festas do Concelho, é o colher dos frutos do profissionalismo e responsabilidade, que me acompanha como pessoa e como fadista. Agradeço, desta forma, a apreciação e confiança no meu trabalho.

O concerto vai ser especial por variados motivos. Um deles é a localização do palco, que vai ser a varanda da Câmara Municipal de Sardoal. Que expectativas tens para o concerto?

Em 2014 Joana Cota apresentou 
"Fado no Sorriso" em Sardoal (Foto: André Lopes)
Expectativas em altas, para um concerto especial, num palco especial. Por dentro, vive o receio da dificuldade em ultrapassar aquilo que para mim é essencial nos meus espectáculos... o "quebrar o gelo" com o público. A distância do palco à plateia é grande, e é difícil criar o intimismo que o Fado exige, mas penso que o reportório escolhido, as palavras ditas, a presença, a alma, o espírito, a raça e o sorriso serão os aliados neste "derrubar do gelo". Mas tenho confiança que irei encontrar um público caloroso e fadista que apreciará o espectáculo.

Como vai ser o concerto? Uma mescla de músicas originais e versões?

O fado tem uma história tão rica, recheada de músicas e poemas tão bonitos, que é de todo impossível fugir aos clássicos que já foram construídos e que se mantém bem presentes na história do povo português. O disco "Fado no Sorriso", como meu cartão de visita, foi precisamente produzido dentro desta ideia... apresentar a minha voz, através daquilo que o público tão bem conhece, mas vincando o meu jeito fadista.

Contudo, tendo eu a minha veia poética, não poderia deixar de apresentar alguns originais próprios, que têm por base o fado tradicional, bem como o "hino" do projecto que dá nome ao concerto: "O Fado Sai à Rua". Trata-se de uma marcha, com poema e música de minha autoria.

Artisticamente, no fado, até onde é que queres ir?

No fado, eu quero ir até onde este me deixar. Atualmente, profissionalizei-me nesta área, e quero crescer mais e mais como fadista. O fado tem muito para me dar, e eu quero ter também muito para dar ao fado.

Faço este ano 10 anos de fado, e tenho a consciência de que ainda pouco sei. Trabalho muito, todos os dias, pois só com trabalho se cresce e se evolui. E vamos vendo esse trabalho dando frutos... Contudo, sou muito realista, pelo que vivo um dia de cada vez, com um passo do mesmo jeito, pois um passo bem calcado, torna o caminho mais firme. É neste caminho que vão aparecendo as pessoas certas, que acreditam em nós, no nosso talento, e nos dão estes "miminhos" como a oportunidade de mostrar ao público aquilo que valemos.

Página oficial no Facebook: www.facebook.com/joanacotafadista

Comentários